Venda de chocolates artesanais e coelhinhos de pelúcia rende lucro na Páscoa


A menos de um mês para a Páscoa, ainda dá tempo de se organizar para ganhar dinheiro com a data mais doce do ano. Ovos de chocolate, bombons, brownies, balas de brigadeiro e coelhinhos de pelúcia são exemplos de produtos fáceis de fazer em casa, mesmo por quem não tem muita experiência, e que podem render um bom lucro.


— Os artigos artesanais estão ganhando cada vez mais espaço por serem uma alternativa ao óbvio oferecido pelas indústrias. Além disso, eles têm preço mais acessível — afirma a analista de atendimento do Sebrae-RJ Juliana Gomes da Costa.


A instrutora do curso de confeiteiro do Senac-RJ Amanda Augusto acredita que a procura por itens de Páscoa vai se intensificar no início do próximo mês. Na busca por sabores diferentes dos encontrados nas prateleiras de lojas e supermercados, os consumidores elegeram os ovos de chocolate recheados como os queridinhos do momento. Por ano, a chef confeiteira Carolina Sales chega a vender de 500 a 700 unidades deles. Mas apostar na variedade e oferecer ao público outros tipos de produto, como palha italiana e pão de mel, é uma estratégia interessante.


— Fica mais fácil agradar a todo mundo — diz Amanda.


A confeiteira Laíse Lopes, de 21 anos, vende chocolates na Páscoa há três anos para aumentar a renda. Como muitos estão apostando em ovos recheados, ela resolveu inovar este ano e lançar um kit Páscoa com palitos de creme de avelã e cookies, trufas de brownie e barras de chocolate de sabores diferentes, como frutas vermelhas e caramelo com amendoim e flor de sal.


— A aceitação está sendo boa, porque as pessoas gostam do diferente. Não dá para vender o mesmo produto sempre. Minha expectativa é vender 80 kits — conta.


A grande vantagem de trabalhar com produtos artesanais na Páscoa é que a matéria-prima é barata. No caso do chocolate, é possível encontrar todos os ingredientes e utensílios — basicamente uma espátula e formas trifásicas (com camadas de plástico e silicone) — para a fabricação de ovos e doces em lojas de artigos para confeitaria. Pesquisar preços em pelo menos dois lugares antes de comprar é importante para evitar gastos desnecessários.


Beleza atrai clientela


O diferencial dos artesanais também passa pela beleza do próprio produto e da embalagem. Caprichar no visual do embrulho é essencial para alavancar as vendas. Quem comercializa comestíveis deve colocar um adesivo de identificação no alimento, com informações sobre ingredientes, conservação e validade, ensina a chef confeiteira Carolina Sales.


Graciosos, coelhinhos de pelúcia têm chamado cada vez mais a atenção de quem procura um presente bonito para dar a alguém na Páscoa.


— Muitos adultos preferem oferecer um coelhinho de pelúcia a chocolates para as crianças nesta época, até porque é um brinquedo que fica para o pequeno depois — conta a artesã e bonequeira Adriana Schutz.


Com a ajuda de um molde, mesmo quem não tem muita prática em costura consegue confeccionar um coelhinho de pelúcia em cerca de três horas, garante Adriana. Os materiais necessários podem ser encontrados em casas de tecidos e aviamentos.


— Com um metro de pelúcia e um quilo de fibra siliconada, usada no enchimento, dá para produzir cinco bichinhos. Em média, são gastos R$ 55 reais para fazer essa quantidade de coelhos, e cada um é vendido por R$ 45 ou R$ 50 — diz a bonequeira.


No canal de Adriana Schutz no YouTube, há aulas gratuitas de confecção de coelhinhos de pelúcia, com moldes para imprimir.


Dicas para empreendedores


Segundo Juliana Gomes da Costa, do Sebrae-RJ, o primeiro passo para quem quer aproveitar a Páscoa para empreender é buscar capacitação. Fazer cursos presenciais ou online, testar receitas e pedir a amigos que experimentem o produto antes de vendê-lo é essencial para se chegar a acertos.


Checar o que está em alta no momento e o que já existe no comércio é importante para pensar em algo diferente que conquiste os clientes. Investir num público-alvo, como pessoas que têm restrição à lactose, pode ser também uma estratégia interessante para a venda de chocolates.

A limpeza do local onde o chocolate será manuseado garante a qualidade do produto final e evita desperdícios. Segundo Amanda Augusto, do Senac-RJ, sobras de recheio de ovos de Páscoa podem ser utilizadas em bombons, por exemplo.


Com isso, o lucro fica maior. O ideal é receber encomendas até uma semana antes da Páscoa. Pode-se otimizar o preparo dos chocolates deixando um dia para a produção das cascas de ovos e outro para os recheios, por exemplo.


Em relação à divulgação, mídias sociais ajudam a tornar os produtos conhecidos e atrair consumidores. Faça um perfil só para o negócio e aposte em fotos e vídeos bonitos, bem iluminados e com um cenário interessante.


Pode-se calcular o preço de venda do produto pensando que ele deve render de 100% a 200% de lucro. Ou seja: se o gasto para produzir uma unidade de ovo de Páscoa foi de R$ 10, ele sairá para o cliente entre R$ 20 e R$ 30 (custo multiplicado por dois e três). O Sebrae oferece o curso “Formação do preço de venda” gratuitamente em seu site. A modalidade presencial é paga.


O curso “Aula online de ovos de Páscoa”, da chef confeiteira Carolina Sales, custa R$ 120 e está com inscrições abertas em carolinasalescursos.com.br. O conteúdo fica disponível por um ano.


Quem quiser aprimorar o conhecimento para a próxima Páscoa pode fazer o curso de confeiteiro do Senac-RJ a partir de maio. São 300 horas presenciais, com um módulo exclusivo de chocolate de 24 horas. As próximas turmas serão abertas em 6 de maio, na unidade Campo Grande (2413-2523), e 7 de maio, na unidade Marapendi, na Barra da Tijuca (2432-1600).


Fonte: Extra

41 visualizações0 comentário